SUPREMACIA E PERPETUAÇÃO DA PERSONAGEM QUE NOS DOMINA (1a parte) Desafiar ou não a parte falsa do que somos, é o que marca a diferença entre descobrir-se a si mesmo ou viver autoenganado

BREVE RESUMO CURRICULAR DO TIRANO QUE TRAZEMOS DENTRO

A vida de uma pessoa é uma obra de teatro que representa a comédia trágica de ser humano.

Desde pequenos experimentamos todo o tipo de situações em que algumas são satisfatórias, outras são dolorosas, algumas aceitamos, outras não as compreendemos, algumas protegem-nos, outras marcam-nos para sempre produzindo feridas profundas, algumas deprimem-nos e outras animam-nos. Esta é a oscilação provocada pelas coisas que nos acontecem. Quando aceitamos, recebemos tudo!

A mente das crianças é inocente, pura e descondicionada. Até então, não possui programa nem sistemas de crenças que lhes permitam inferir conclusões. Desta forma, poderá observar tudo o que lhe acontece, sem retirar conclusões de como deverá interpretar os acontecimentos. Assim, apenas recebe a energia que cada feito, situação, palavra ou pessoa lhe transmite. Esta energia que está por detrás de casa coisa é um paquete de informação e mensagens subliminares que todas as crianças codificam no seu inconsciente e que utilizará futuramente para construir a personagem que representará ao longo da sua vida.

Em suma, do que foi experimentado e percebido, extrai-se o guião de novela da própria vida para eleger inconscientemente quem será o protagonista. O guião deverá ser bem aprendido para que se possa interpretar dita personagem e atrair as restantes.

Ao longo da vida, ocorrerá uma identificação com essa personagem, sendo que a pessoa acredita que é essa mesma personagem, ainda que seja mentira e que fosse muito libertador a pessoa dar-se conta de que não é essa personagem. No entanto, não sabe viver sem ela, não sabe mover-se sem seguir as suas ordens. Viver no predeterminado é tao confortável como seguro e é fácil também já que só precisa de interpretar.

São cada vez mais as pessoas que querem acabar com o seu sofrimento, o seu mal-estar e desequilíbrio. Neste momento, percebem que vivem a vida sem o direito de ser o que realmente são e aqui, nasce a necessidade de decidir entre despertar ou continuar dormindo. O despertar da consciência está relacionado com o processo de tomar consciência de que não somos o que interpretamos, não somos a personagem que decidimos interpretar e que apenas estivemos a interpretar um guião macabro que nos impede de expressar o nosso verdadeiro ser.

Tudo é uma grande mentira, a vida que vivíamos converteu-se numa grande mentira e nossa própria prisão. No entanto, tudo possui um grande sentido para a experiência de viver que pode ser descoberto num processo de evolução interior.

Quando algo não funciona bem na vida ou sentimos que nos estamos perdendo, repetindo padrões de conduta que não podemos aceitar ou compreender, abre-se a possibilidade de indagar o que está a acontecer. É aqui que percebemos que a nossa vida não passa de uma recriação do passado e tudo o que nos acontece, tem o único propósito de manter vivo o guião de novela, a mentira mais ou menos organizada que provém dos primeiros anos de vida.

É possível que tenhas recebido em excesso, é possível que tenhas sofrido graves carências mas tanto os traumas como as feridas são o pulso vital da personagem que nasceu na tua infância para apoderar-se da tua vida.

Denominei de Programas Ativos os traumas que podemos detetar; rejeição, perda, traição, abandono, humilhação, etc… e Programas Passivos os traumas que provêm do condicionamento: sobreproteção, anulação, confusão, repressão, alienação (conceitos que exploramos na nossa Escola Consciente)

A REALIDADE TAL COMO É
Agora quem sabe, estás num grande problema. Não gostas da tua vida, não gostas do que te acontece, o que possuis não te traz satisfação, não tens tempo para disfrutar, possuis algum mal-estar ou doença, sentes dor e perguntas: “o que aconteceu na minha vida? Como cheguei até aqui? Porque sou como sou?”

Disse anteriormente que as crianças não podem tirar conclusões mas sim, perceber as energias que lhes são transmitidas. Estas poderão estimular-nos ou anular-nos, impulsiona para crescer ou bloqueia o nosso desenvolvimento. As energias são mensagens subliminares que têm origem em diversas raízes: as que trazemos desde o nosso nascimento, as familiares e as que provêm do que está à nossa volta. De qualquer forma, são elas que sustentam a estrutura da nossa personalidade e estão dispostas a supervisionar tudo o que nos acontecerá. Eu denomino esta energia de “VOZ EM MODO OFF”, já que é a voz que influencia como devemos agir ou pensar.

A partir de aí, tudo o que vem é programado, calculado, planificado e medido pelo sistema que está instalado em nós mas que na verdade, proveio do exterior. Somos dominados pelo tirano interno e este obedece às ordens que vêm de fora e é por isso, que surgem tantos problemas com os outros, nomeadamente nas relações.

Querer anular essa voz em off é matar o tirano ou deixar de depender do externo. Em qualquer dos casos, necessitaremos de um grande trabalho interno e externo connosco mesmo e com os outros.

O método de Evolução Interior trata exatamente isto, o despertar da consciência para ver mais profundo, abrir a mente para vermos o que há por detrás do invisível.
Se queres realmente, resolver o problema de domínio da tua personagem sobre ti, terás que aceitar a perda de controlo como parte do jogo de libertação e, neste caso, poderás aceder à segunda parte do jogo. Para isto, consideramos as dissonâncias cognitivas por forma a atingir a desestruturação de esta macabra obra de teatro em que vives.

Falaremos disto noutra altura.

Alberto José Varela

[email protected]

 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top